Roadmap para a Waves 2.0

Para enfrentar os desafios da adoção em massa, o ecossistema Waves precisa dar um passo adiante em liquidez, escalabilidade e visão pós blockchain-DLT. O caminho para a Waves 2.0 levará um tempo, mas o trajeto está claramente definido.

O roadmap da Waves 2.0 consiste em 3 fases:

Gate Tannhauser: um caminho para a liquidez
  • Meta: U$ 10 bilhões em valor total bloqueado na Waves.
  • Cronograma: abril-setembro / outubro de 2021.

Waves é uma blockchain rápida com transações liquidadas em 2–3 segundos e taxas de transação de apenas alguns cents. Nossa blockchain possui uma DEX integrada e uma linguagem de contrato inteligente sem gás (as taxas na Waves são fixas). Isso permite transferência de liquidez dentro da rede.

Com alto rendimento e transações que custam uma fração das outras redes, a Waves é uma plataforma conveniente e rápida para vários aplicativos DeFi. A liquidez de outras plataformas deverá ser importada para a Waves, e os instrumentos Waves DeFi serão exportados para outras redes.

Trabalharemos em várias direções e marcos importantes, com o objetivo de garantir pelo menos U$10 bilhões em diferentes produtos DeFi na Waves, até setembro de 2021.

1.    Interoperabilidade Ethereum

Atualmente, a Ethereum possui mais liquidez, mas é também a rede mais congestionada. Ao redirecionar parte da liquidez da ETH para a Waves, ajudamos a Ethereum e aumentamos a usabilidade da Waves.

Nesta fase, alcançaremos a integração máxima possível com a rede ETH. Será possível usar chaves privadas Ethereum e Metamask na Waves, nos serviços da Waves.Exchange e do Swop.fi. Também iremos interagir com outras redes importantes, como a Binance Smart Chain, através da estrutura Gravity.

2. Pools de liquidez com base em livros de ofertas

A Waves.Exchange é uma das exchanges descentralizadas (DEXes) mais antigas que comportam livros de ofertas convencionais. Iremos aprimorá-la com pools de liquidez on-chain e off-chain, combinando o melhor dos dois mundos – uma estrutura de mercado tradicional, com pools de liquidez dos usuários.

Você poderá adicionar liquidez a qualquer par na Waves.Exchange e receberá recompensas de farming. Você também poderá lançar um token e fornecer liquidez para ele facilmente.

3. Ativos voláteis

Lançaremos todos os ativos sintéticos voláteis possíveis, do Tesla a qualquer cripto ou ativo convencional, por meio de votação da comunidade e de ativos que não necessitem de “colateralização” excessiva. Através disso, agregaremos ainda mais valor aos produtos Waves DeFi e criaremos dezenas de novos produtos comerciais.

4. Um protocolo de empréstimo na Waves

Empréstimo em rede é uma parte essencial de qualquer ecossistema DeFi. Ele complementa as conversões (swaps) de ativos na rede, cria uma dinâmica de negociação marginal na blockchain e bloqueia toneladas de fundos em pools de empréstimos.

Estamos desenvolvendo um protocolo para empréstimos.

5. Liquidez externa: Gravity

Você poderá trazer liquidez de outras redes, mas também poderá exportar seus produtos DeFi para outras blockchains, aproveitando a liquidez na rede. Aplicativos Interchain DeFi, baseados no protocolo Gravity exportarão tokens Waves DeFi, como o USDN, para outras redes, agregando mais valor aos ativos. O USDN já está presente nas redes ETH e Binance Smart Chain, mas este é apenas o começo.

6. Lançamento do Node

Por último, mas não menos importante é o lançamento do node Waves, nesta primavera. Esse lançamento irá aprimorar a funcionalidade dos contratos inteligentes, permitindo a interação de contratos inteligentes e empréstimos rápidos na Waves. Isso é crucial para uma transferência mais suave na rede, uma vez que permite a interação entre diferentes empréstimos e pools de conversões.

Além disso, a nova versão irá aprimorar muito a utilidade do NSBT (o token de governança do protocolo Neutrino), uma vez que permitirá votação descentralizada para os nodes, nos quais tokens WAVES, lastreando USDN, são colocados em stake.

Há também um ingrediente secreto para a fase Tannhauser gate do roadmap: um aplicativo que está atrasado, mas que poderá mudar o jogo.

Buracos de minhoca: Escalando

Meta: 10 milhões de transações diárias, em média.

Setembro de 2021 – janeiro / fevereiro de 2022

Liquidez precisa de escalabilidade. Após conseguirmos liquidez suficiente, precisaremos dimensionar a rede Waves para dar conta do aumento do volume de transações. Nossa abordagem será baseada em um novo modelo de sidechain (“rede lateral”), que está em desenvolvimento. As sidechains rápidas serão lançadas por meio da governança da rede Waves, com a maioria dos stakers garantindo a consistência das redes lateral e principal.

Inicialmente, lançaremos sidechains baseadas em Waves, o que permitirá oferecer suporte às redes de aplicativos, isto é, redes que oferecem suporte a um determinado aplicativo (por exemplo, Waves.Exchange ou uma rede de dados). Paralelamente, serão lançadas redes EVM, possibilitando total compatibilidade com a Ethereum. Chamadas de contrato interchain permitirão empréstimos rápidos entre blockchains.

Naves estelares: indo além

Todos os projetos de blockchain colocaram em prática ideias que surgiram pela primeira vez por volta de 2014–2016. Chegou a hora de tentar criar algo genuinamente novo, indo além do conceito das abordagens de consenso totalmente sincronizadas. Avanços reais em escalabilidade serão alcançados apenas com novos conceitos. Planejamos implementar novas abordagens para registros distribuídos, dentro da estrutura da Waves 2.0, a ser lançada em 2022.

A Waves 2.0 será primeiramente uma sidechain e depois se tornará a blockchain principal de toda a rede.

A Waves está avançando e vamos assistir os c-beams brilharem no escuro! Continuem conosco.


Faça parte da comunidade Waves Brasil!

Telegram
Twitter
Facebook
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.